01-manual-pet-31-cao-pintinho

13 maio

Cães da cidade e cães do campo

Quando se fala de cães, é necessário mencionar o mundo em que vivem e crescem, porque o ambiente influencia o seu comportamento. Além disso, é necessário levar em consideração as atitudes das pessoas que os circundam. Como são os cães da cidade e os do campo?

Temos que nos lembrar que, exatamente como sucede com os outros seres vivos, inclusive os humanos, o contexto influencia a adaptação e a existência. As diferenças entre cães da cidade e do campo são definidas pelo espaço em que vivem cotidianamente.

Como com os humanos, os cães adquirem características com base no lugar em que vivem, cidade ou campo. Não é o mesmo viver em uma grande metrópole, onde o ritmo da vida é muito mais intenso, em comparação a uma zona rural, onde não existe estresse e a natureza está muito mais presente.

Também os horários são notoriamente diferentes. Nas zonas rurais e agrícolas, as pessoas se levantam e vão dormir muito cedo, um fator que se torna crucial na vida de todos os dias, independentemente de serem pessoas ou animais de estimação.

Os cães da cidade e do campo se adaptam a estes elementos, desenvolvendo existências diferentes, quase opostas. Um cão que é treinado e adotado em uma área metropolitana sofre de níveis de estresse e ansiedade que um outro semelhante camponês não conhecerá nunca.

 

Os passeios

Os cães foram observados com relação à rotina diária de passeios, produzindo-se conclusões que mostram resultados diversos. As raças caninas que vivem no campo, por uma questão de espaço, podem se movimentar livremente e sem coleira. Mas mantêm sempre o contato visual com os seus proprietários e não se distanciam muito deles.

Ao contrário deles, os cães que vivem na cidade são habitualmente ansiosos. Não têm o hábito de manter o contato visual com a pessoa que o guia e, portanto são mais propensos a tentar fugir na hora do passeio.

Tudo isso, é claro, depende do treinamento dado a cada caso. São mais freqüentes fugas de animais da cidade, mas não significa que cães do campo também não possam se aventurar além dos limites e desapareçam ou tenham consequências ruins de suas aventuras como serem atropelados, por exemplo, em estradas.

 

O olfato

Os cães têm o sentido do olfato muito desenvolvido, como já se demonstrou. Entretanto, no caso dos cães do campo e da cidade, há algumas diferenças fundamentais. Isso não se deve a uma questão de treinamento, objetivamente maior nos animais que vivem em ambientes rurais, mas também à paciência e concentração em fazê-lo. 

O cão que cresce no campo desenvolve muito mais paciência e dedica muito mais tempo a farejar o mundo e os objetos que o circundam.  Às vezes, ele até é empregado em atividades que exploram seu faro privilegiado, como no caso da caça.

O cão que nasce e cresce na cidade, sendo mais irrequieto, senão igualmente treinado, é muito menos paciente, fareja rapidamente tudo porque tem pressa. Sabe que tem poucos minutos à disposição para encontrar e seguir possíveis vestígios de coisas.

 

A saúde

Se formos tratar do bem-estar desses fidelíssimos animais domésticos, é normal considerar os cães do campo como mais saudáveis e com menos problemas de saúde em comparação com os primos que vivem na cidade. Isso diz respeito, evidentemente, tanto à esfera física quanto à mental.

Resumidamente, diz-se que os cães do campo levam uma vida melhor, e nisso não é dificilmente de acreditar. Certamente, também existem casos extremos relativos à maneira de ter e cuidar dos animais, pois pode haver tutores “civilizados” que são mais respeitosos e preocupados do que aqueles que, talvez acostumados à vida no campo, geralmente consideram os cães como ferramentas de trabalho.

De qualquer modo, existem dois elementos-chave que permitem aos cães do campo ter, uma melhor qualidade de vida: o habitat e o contato com as pessoas e animais.

 

O  habitat

A vida de um cão treinado no campo, em um ambiente natural, é a de um animal que aproveita uma maior liberdade de movimento. Não conhece o estresse de permanecer fechado por horas em casa e, todo dia, tem a possibilidade de treinar e desenvolver os seus sentidos. 

Obviamente, os cães que vivem em um pequeno apartamento ou em uma casa na cidade, não se encontra no seu ambiente natural. Além disso, o seu ambiente de convívio, frequentemente, é repetitivo e fechado. Quando ele é levado para passear, não é raro que ande pela mesma rota, sem nenhuma novidade. E isso pode ser agravado para um cão com uma alta capacidade de energia que precisa ser descarregada. 

Por estes motivos, é geralmente aconselhável que os cães da cidade façam sempre atividades diversas e estimulantes, começando pela variação do trajeto dos passeios, a sua duração e os lugares em que ele possa brincar junto com outros animais. De tal modo, será reduzida a quantidade de ansiedade e estresse acumulada. 

 

Contato com as pessoas e animais

Também o constante contato com outras pessoas e animais presenteia os cães do campo com uma maior qualidade de vida. Encontrando-se a ter que interagir, todo dia, com diversos seres vivos, estes animais melhoram o seu temperamento e o nível de socialização. Desde sempre, o cão ajuda o ser humano a desenvolver diversas tarefas. É visco como um animal doméstico e também como uma companhia. É por este motivo que ele se sente à vontade cercado de pessoas.

Sobre as diferenças entre cães da cidade e cães do campo,  há ainda muito a investigar e aprender. A sua companhia foi sempre fundamental para os seres humanos, mas é necessário sempre fazer todo o possível para criar um habitat adaptado a eles, porque o ambiente, como vimos, influi muito sobre a felicidade e o bem-estar do nosso amigo de quatro patas. 

 

Como manter saudável o cão que vive no campo

Mesmo, em geral, podendo ser o cão do campo mais saudável do que o da cidade, viver no campo pode causar perigos para a saúde do seu cão. 

Viver no campo com o próprio cão e não ter à disposição muitos centros veterinários é uma situação que apresenta muitas desvantagens para a saúde, pois é um contexto em que uma doença ou um incidente podem se transformar em eventos bastante graves para o nosso pequeno amigo.

 Embora pareça um panorama delicado, o segredo para evitar que as coisas piorem é tomar algumas simples precauções. Deste modo tanto o tutor quanto o animal doméstico podem levar uma vida agradável e sem inconvenientes. 

Seguem alguns conselhos úteis para quem não sabe manter o animal saudável no campo.

 

Primeiros socorros

Tenha sempre à mão um kit veterinário de primeiros socorros para cães e gatos.

Pode parecer óbvio, mas frequentemente muitos não dão atenção e não tem um desses à mão quando acontece um acidente que requeira remédios ou outros procedimentos médicos. É importantíssimo ter sempre um à disposição para resolver qualquer problema de saúde.

Como este kit será para o seu animal doméstico, você deve consultar um veterinário e dizer-lhe todo que diga respeito, não só ao seu amigo, mas também ao ambiente em que ele viverá. Como base nisso, será ele a aconselhá-lo os remédios adequados aos riscos que corre o seu cão, além das doses a serem administradas a ele.

 

Medicamentos e acessórios sempre necessários

Alguns remédios, no entanto, deveriam sempre estar presentes com você. Seguem uma lista básica:

  • clorexidina;
  • peróxido de hidrogênio, mais conhecido como água oxigenada;
  • tintura de iodo;
  • diferentes tipos de antibióticos;
  • comprimidos de carvão ativado;
  • analgésicos;
  • bandagem;
  • suplementos alimentares;
  • diferentes tipos de anti-inflamatórios;
  • gaze;
  • medicamentos antidiarreicos.

Mesmo que você possua este kit para tratar seu animal de estimação em caso de acidente, você ainda deve conversar com o veterinário para lhe dizer a melhor maneira de tratá-lo, caso você não saiba o que fazer. A orientação para o uso de cada produto da lista acima e de outros que o veterinário indicar deve sempre partir do seu veterinário de confiança. Esteja sempre bastante consciente do cuidado que está prestando ao seu animal.

 

Cuidado com a Leishmaniose

Como você deve saber ou imaginar, um dos maiores riscos que seu animal de estimação pode correr vivendo em uma área rural é causado pela presença de pulgas, carrapatos e mosquitos. Esses insetos não são apenas irritantes, mas também perigosos, pois podem transmitir a leishmaniose, uma doença potencialmente letal. Para evitar isso, damos-lhe algumas dicas que serão muito úteis.

Você precisará instalar redes mosquiteiras impregnadas com inseticida nas portas e janelas.

Não deixe seu animal de estimação sair à noite: o mosquito que transmite esta doença geralmente age no escuro.

Se você tem um cachorro, pode vaciná-lo contra a leishmaniose.

Coloque o pesticida ou coleira de pulgas. Já existe no mercado uma coleira que protege contra os insetos que transmitem a leishmaniose e que tem durabilidade de 8 meses, que também não precisa ser removida durante o banho.

 

Proteger os alimentos

Se você estiver em no campo, cuide da comida, para que ela não seja alvo de concorrentes perigosos como ratos e outros roedores do campo que podem trazer doenças ao ambiente do seu animal.

Se você mora em um local onde não há centros veterinários, é essencial que você feche bem os alimentos, mantendo-os em local fresco. Você evitará a contaminação de fungos e bactérias e a chegada de insetos que desejam comê-los.

Por esse motivo, é de grande importância que você não deixe seus alimentos expostos ao ar por mais de 45 minutos, principalmente em altas temperaturas, uma vez que, nesses tipos de climas os alimentos, se decompõem rapidamente, favorecendo o aparecimento de micro-organismos patogênicos que seriam muito prejudiciais à saúde do seu animal de estimação.

Em poucas palavras, nesse tipo de contexto, é muito importante que seu amiguinho siga uma dieta adequada, pois isso o manterá saudável.

 

Condição física e emocional associadas

Preste atenção ao estado físico e emocional do seu bichinho.

Sempre se deve prestar atenção ao humor de seus amiguinhos, bem como verificar a pele e os pelos deles, uma ou duas vezes por semana, para evitar eventuais problemas, como lesões ou infecções, que, se descobertas a tempo, têm mais chances de tratamento e cura. 

A importância de seu estado emocional baseia-se no fato de que, se seu animal estiver triste ou pouco ativo, pode ser o sinal de uma doença, por isso é importante que você se aperceba da situação o mais rápido possível, para levá-lo ao veterinário.

Como você viu, cuidar da saúde do seu animal de estimação mesmo quando mora em uma cidade pequena ou no campo, onde a cobertura veterinária é limitada, não é tão difícil quanto parece.

 

Algumas outras dicas

Pela comparação entre o ambiente da cidade e o do campo, vimos que ser pai de um animal de estimação em áreas rurais pode significar muito ar fresco, terrenos para correr e se exercitar para seus animais de estimação. Embora existam muitos benefícios na vida rural, também existem alguns desafios exclusivos para os pais de animais de estimação. Veja mais dicas sobre como ser o melhor pai de estimação em um ambiente rural.

 

Mantenha as raças em mente

Embora muitas raças sejam adequadas para ambientes rurais, os cães maiores tendem a gostar de morar em um lugar onde haja mais espaço aberto para correr e brincar. Se você tem ou está pensando em adquirir um cão maior, certifique-se de ficar de olho nele enquanto ele está explorando o mundo enorme que ele vê, para que ele não se afaste demais. Se você mora em uma fazenda, cães maiores, como BorderCollies, Pastores Alemães, Pastores Ingleses Antigos ou Pastores Australianos, são grandes raças para ajudar no pastoreio ou em outras tarefas agrícolas.

 

Deixe seu filhote vagar livremente – com alguns limites!

Viver em uma cidade menor ou ambiente rural significa que você pode ter um quintal grande. Aproveite esse espaço aberto e deixe seu animal de estimação se divertir correndo. Um quintal fechado ou grandes acres de terra são ótimos lugares para o seu filhote brincar em um ambiente seguro, longe do tráfego, que também já existe em áreas rurais, sim.

 

Socialize seu animal de estimação

Enquanto vive em uma comunidade menor, pode ser difícil para seu amigo fazer amigos ou socializar-se com outros animais de estimação. Se a sua comunidade possui um parque para cães, faça da parada no parque uma parte de sua caminhada diária – seu filhote adorará passear com outros amigos peludos com os quais ele normalmente não conseguem interagir. Se você não mora perto de um parque para cães, não se preocupe! Muitas comunidades oferecem creches para cães, onde seu bebê peludo pode se encontrar e brincar com outros cães da comunidade. Antes de visitar uma creche para cães, certifique-se de proteger seus animais de estimação contra a gripe canina com uma vacinação anual .

 

Mantenha seus animais de estimação seguros

Viver em uma comunidade rural pode ser uma experiência maravilhosa para você e sua família, especialmente se vocês tiverem animais de estimação – claro, a experiência para eles tende a ser ótima! Mas estar cercado por terrenos abertos pode facilitar a fuga dos animais de estimação se eles encontrarem um portão aberto ou uma saída da sua propriedade. Certifique-se de providenciar a colocação cirúrgica de um microchip associada ao  registro do seus animal de estimação, um procedimento que hoje já está sendo cada vez mais divulgado e que é muito simples e pouquíssimo e manter seus dados de cadastro sempre atualizados, para que você tenha salvaguardas, caso seu amigo peludo fuja.

 

Vacinas e vermífugos

Nunca é demais cuidar da aplicação de vacinas e vermífugos e sempre pedir orientação ao veterinário sobre problemas específicos da raça que for escolhida para a sua companhia em sua morada no campo, a fim de que não haja nenhuma surpresa. E tomar todos os cuidados recomendados quanto à higiene do animal, porque nenhum ambiente rural torna imune o animal a problemas que teria em qualquer ambiente.

Cada vez mais o conhecimento se torna necessário. Então, o melhor pai de estimação procurará sempre conhecer tudo o que diz respeito ao seu animal, para tratá-lo cada vez melhor, seja na cidade, seja no campo.

 

Categorias: